Área nobre do Cabral ganha residencial de luxo

Em uma mesma noite, no mesmo palco, os internacionalmente renomados Arthur Casas e Renata Tilli trouxeram ao público curitibano as principais tendências para o morar em evento promovido pela incorporadora AG7, no Graciosa Country Club. Durante o evento, que contou com o bate-papo Casa Vogue Talks, conduzido pelo redator-chefe da publicação, Artur de Andrade, o diretor da AG7 Alfredo Gulin Neto apresentou em pré-lançamento o empreendimento Ícaro Jardins do Graciosa, inovador residencial a ser construído em Curitiba, com projeto arquitetônico assinado por Arthur Casas e paisagismo por Renata Tilli. “Queríamos nomes especiais para atuar neste projeto, que já nasce um marco para a sociedade curitibana, por isso buscamos entre os melhores do mundo e chegamos ao Arthur e à Renata”, ressaltou Alfredo Gulin Neto.

O evento contou com a presença de cerca de 200 convidados, entre profissionais de arquitetura e interiores, formadores de opinião e imprensa. O público demonstrou forte interesse pelo Ícaro, a ser construído em frente ao Graciosa Country Club, e cumprimentou muito pelo evento, que foi também ocasião de apresentação do novo livro Studio Arthur Casas – Works 2008-2015, sobre o qual o arquiteto falou em sua exposição durante o bate-papo sobre tendências. O livro do arquiteto Arthur Casas, criador do Pavilhão do Brasil na Expo Milão 2015 (projeto que lhe rendeu neste mês de novembro o prêmio do World Architecture Festival – WAF, em Cingapura), traz uma seleção dos principais projetos ao longo de uma trajetória internacionalmente consagrada. Produzida pela espanhola Ediciones Polígrafa, a obra, que chega ao mercado neste final de ano, conta com uma edição em português e outra em inglês, para distribuição global.

O RESIDENCIAL

O empreendimento será construído em frente ao Graciosa Country Club, no Cabral, bairro extremamente nobre, em especial o quadrilátero selecionado para a construção do Ícaro. “Trata-se de uma área supervalorizada, uma forte ilha de prosperidade mesmo em relação às demais áreas luxuosas de Curitiba”, enfatiza Alfredo Gulin Neto.

No terreno de 4 mil m2, o espaço é um conceito-chave, assim como a incidência de sol nos apartamentos e a arquitetura plenamente integrada ao paisagismo nas diversas áreas privadas e comuns. São três torres com apenas 21 apartamentos no conceito de casas suspensas, de 320 m2 a 530 m2, além de coberturas de 580 m2 a 820 m2, em uma proposta de estilo de vida diferenciada. “O Ícaro foi projetado para oferecer a máxima qualidade de vida aos moradores, por isso seus apartamentos se aproximam muito, pelo espaço e pela distribuição, do projeto de casas. São verdadeiras casas suspensas. Dentro desse conceito, as plantas das unidades são quadradas, com terraços muito grandes, realçando esta proposição inovadora”, detalha Gulin Neto.

O que você precisa saber sobre papel de parede

Na hora de escolher aquela infinidade de cores, tipos e tamanhos de papeis de parede, surge uma dúvida: por onde começar? São milhares de marcas e designers nacionais e internacionais que oferecem os mais variados tipos de papéis para decoração e nem sempre é muito fácil escolher o melhor e mais bonito.

Continue Lendo

Réveillon em Brusque no alto da colina

Se a ideia de passar a virada de ano em meio à multidão que invade o litoral brasileiro não agrada, apostar no interior pode ser uma excelente opção. E para quem não abre mão da ceia, do champanhe, dos shows e de todo o glamour e alegria que envolve a festa de Réveillon, o Monthez Hotel & Eventos é a melhor alternativa. O mais completo hotel de Brusque, localizado a apenas 44 km de Balneário Camboriú e situado no topo de uma colina preparou uma festa memorável.

Para receber seus hóspedes e o novo ano em alto estilo, o Monthez Hotel & Eventos aposta na flexibilidade. A ideia é que o próprio hóspede monte seu pacote, decidindo a quantidade de dias, se quer participar da ceia na virada, sem obrigatoriedade de comprar um pacote fechado. E quem mora na região de Brusque pode adquirir convites para a festa da virada sem necessidade de hospedagem.

A ceia de Réveillon do Monthez é especial, com direito à atração musical, salão decorado, fogos de artifício e espumante, além da melhor vista da cidade. Os convites para a festa da virada estão sendo vendidos a R$ 190,00 por pessoa. Já os valores das diárias para hospedagem estão com os seguintes preços: Luxo Individual – R$ 309,00; Luxo Duplo – R$ 374,00; Luxo Triplo – R$ 464,00; Luxo Quádruplo – R$ 583,00; Premier Individual  – R$ 341,00; Premier Duplo – R$ 415,00; e Premier Triplo – R$ 511,00 (café da manhã incluso e acréscimo de 3% de ISS no valor da diária). Informações e reservas podem ser obtidas pelo telefone (47) 3251-3717 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Monthez Hotel & Eventos

Instalado no topo de uma colina, o Monthez Hotel & Eventos exibe arquitetura germânica e permite uma vista privilegiada da cidade. Seu acesso é fácil, pois está localizado a cerca de 1 km da estação rodoviária e a 40 km do Aeroporto Internacional de Navegantes. Outro destaque do Monthez é seu café colonial, com mais de 60 opções de doces, tortas e salgados. O Monthez dispõe de 104 apartamentos equipados com ar condicionado, TV a cabo, frigobar e banheiro privativo. Alguns quartos dispõem de banheira de hidromassagem e outros são adaptados para portadores de necessidades especiais.

 

Flat bom para cachorro em Curitiba

Em Curitiba, o Real Plaza Flat Residence, opção ideal para hospedagem de longa permanência, acaba de incluir em seu leque de serviços mais um diferencial de atendimento. Os hóspedes que precisam permanecer por mais tempo na cidade e que têm dificuldade em alojar seu cão, encontram no Real Plaza a solução. O empreendimento passou a aceitar locatários com o seu bicho de estimação, de pequeno a médio porte.

O setor hoteleiro aparece como um dos novos nichos no mercado pet. “Recebíamos muitas solicitações de clientes a procura de estadia, desde que pudessem permanecer hospedados com o seu animal de estimação, por isso decidimos implantar o serviço”, explica o presidente da Comissão de Representantes dos Proprietários do Real Plaza, Luiz Gonzaga Bettega Sperandio.

O Real Plaza é uma opção ideal para hospedagem de longa permanência. Os apartamentos de 44 m² possuem sala com dois ambientes, quarto, cozinha totalmente equipada, lavanderia e janelas antirruídos, além de decoração nova e moderna. São equipados com ar condicionado, televisão LED, móveis padronizados, enxoval completo e jogos de louças e talheres. O prédio conta com piscina, sala de convivência, área comercial e garagem terceirizada. Restaurante e academia estão em processo de implantação.

Localizado na região central de Curitiba, o empreendimento tem excelente mobilidade para os principais bairros de cidade, sendo uma ótima opção de hospedagem para quem busca praticidade e agilidade na estadia. Os valores de hospedagem, com base de cálculo em tabela progressiva que vai diminuindo conforme o tempo de estadia, já incluem o condomínio, luz, gás, serviços de internet e TV à cabo, além de limpeza básica, troca de roupa de cama e portaria 24 horas.

Mercado Pet

Além do hoteleiro, outros setores que surgem como nichos no mercado pet são o veterinário e o gastronômico, com receitas exclusivas para cães e gatos. Muitos shoppings centers também abriram passagem para cães e gatos. O segmento de alimentação ainda lidera as atividades que fazem parte do mercado, seguido por serviços e cuidados com animais, que vão de equipamentos a acessórios e produtos para higiene. São milhares de pets shops e lojas especializadas espalhadas pelo país.

Pesquisa do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística aponta que 44,3% dos domicílios do país têm pelo menos um cão e 17,7%, um gato. Em números absolutos, o levantamento indica que são 74 milhões de animais. Uma população que aquece a economia nacional. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) mostram que, em 2014, o mercado de pets movimentou R$ 16 bilhões, alta de 8,2% em relação ao ano anterior. A cifra coloca o Brasil como o segundo maior setor da indústria pet no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Real Plaza Flat Residence
Rua José de Alencar, 20 – Cristo Rei
(Viaduto Capanema, esquina com a Presidente Affonso Camargo)
Reservas: (41) 3025-0999 ou
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Mais informações: (41) 3025-0888 ou
www.realplaza.com.br

Consumidores apostam na queda do preço dos imóveis em 2016

Pesquisa mostra que a maioria dos consumidores pretende fechar negócio ainda no primeiro trimestre do próximo ano

O ano de 2015 foi cheio de mudanças para a economia e para o mercado imobiliário. O VivaReal, portal de imóveis líder no mercado brasileiro, realizou uma pesquisa para conhecer as expectativas dos consumidores para o ano de 2016. O levantamento foi realizado com pessoas que buscaram imóveis para compra ou aluguel por meio do portal VivaReal nos últimos três meses.

O estudo apontou que os consumidores continuam pessimistas com a economia do país, mas acreditam em oportunidades no mercado imobiliário. Para 33% dos consumidores, a economia deve piorar no próximo ano. Entre os entrevistados, 51% apostam que os preços dos imóveis devem cair em 2016 e 63% acreditam que vão conseguir melhor margem de negociação com imobiliárias e corretores.

“Dificilmente veremos quedas bruscas de preços em um curto período de tempo, pois as mudanças no mercado imobiliário são de longo prazo. A confiança e o poder de compra dos consumidores, porém, são afetados pelas crises política e econômica”, explica Lucas Vargas, Vice-Presidente Executivo do VivaReal.

A pesquisa ainda mostrou que 36% dos entrevistados pretendem comprar ou alugar um imóvel durante o primeiro trimestre do ano. Mesmo com as mudanças das regras pela Caixa Econômica Federal, o financiamento continua sendo a primeira escolha dos consumidores (54%) para comprar o imóvel. Outros 17% pretendem pagar à vista e 14% buscam entrar no Minha Casa Minha Vida.

“Com as alterações nas regras de financiamento foi possível notar uma migração das intenções de compra para o aluguel. No entanto, os consumidores, que pretendem comprar ainda no primeiro trimestre de 2016, podem encontrar outras alternativas de financiamento ou optar por outras modalidades, como por exemplo o consórcio”, completa Vargas.

Coleta de lixo será reforçada na Ilha do Mel

A Ilha do Mel terá mais uma vez o serviço de coleta lixo reforçado e permanente durante o Verão Paraná. Para ajudar na limpeza durante a temporada, o Governo do Estado vai repassar R$ 400 mil ao município.

O trabalho na Ilha na temporada de verão vai envolver a limpeza das praias e das trilhas e, ainda, o transporte do lixo até Paranaguá. Já estão sendo providenciadas as ações necessárias, tanto na Ilha do Mel como também em outros locais do município de Paranaguá, para que os turistas e a população possam desfrutar de um verão com tranquilidade e bons serviços.

Além do repasse de R$ 400 mil, seis carrinhos elétricos circularão durante os meses de verão para coletar e transportar o material até as barcaças. Os carrinhos que pertencem ao Instituto Ambiental do Paraná são silenciosos e movidos à bateria. Eles transportam até 300 quilos de lixo por vez.

A ilha

A Ilha do Mel é uma faixa de 2.760 hectares de terra contornada pelo mar, que fica na entrada da Baía de Paranaguá. Além de espaço turístico, a Ilha é um território ambientalmente protegido, característica que assegura a manutenção da biodiversidade e que ajuda a preservar as paisagens, que atraem visitantes de vários lugares do Brasil e do mundo.

Do território da Ilha do Mel, 95% são compostos por duas importantes Unidades de Conservação Estaduais de Proteção Integral: o Parque Estadual e a Estação Ecológica da Ilha do Mel. Os outros 5% da área são destinados ao uso e ocupação de moradores e, também, para a infraestrutura turística.

Para cuidar da Ilha do Mel, o Instituto Ambiental do Paraná, vinculado à Secretaria do Meio Ambiente, mantém uma base no local. “O trabalho do IAP é muito importante. Eles são rígidos, mas se não fossem assim, a Ilha não seria a mesma coisa e a gente que vive aqui já não ia ter esse verde todo”, disse Ribeiro.

Simulação mostra preparo de estudantes para situações de risco

O programa da Prefeitura de Curitiba “Defesa Civil na Educação – Conhecer Para Prevenir (CPP)” encerra suas atividades deste ano implantado em 100% das unidades de ensino da rede pública municipal. Essa meta estava prevista para ser atingida só no final do ano que vem.

Uma simulação de situação de riscos e desastres em escola, feita pelos estudantes na sede da Prefeitura, marcou o encerramento das atividades no ano de 2015. Oito estudantes da Escola Municipal Dom Bosco improvisaram uma sala de aula na sede da Prefeitura para simular o que fazer e como agir em três situações de emergência: tiroteio nas proximidades da escola, vendaval com risco de destelhamento e incêndio. Para cada uma dessas situações, as orientações e procedimentos diferem quanto à proteção e cuidados a serem adotados.

“O programa está em todas as escolas da rede pública municipal, inclusive atende as crianças dos centros de educação infantil, que aprendem o que fazer, como agir e a se proteger diante de alguma emergência”, disse o prefeito Gustavo Fruet. “É um trabalho continuado para evitar tragédias, por meio do incentivo, valorização e potencialização das iniciativas de prevenção”, acrescentou.

O CPP tem o objetivo de orientar a comunidade escolar quanto aos procedimentos e medidas a serem adotadas diante de situações emergenciais, como acidentes e desastres, além de prevenir para minimizar danos e prejuízos.

Neste mês completará um ano da sanção da lei municipal que transformou o Conhecer Para Prevenir em uma política pública permanente de prevenção e de proteção na cidade.

O CPP, parceria das secretarias da Defesa Social e Educação, fecha o ano de 2015 presente em 437 unidades de ensino e com a realização de 1.748 treinamentos simulados de emergência e capacitação.

Sejamos todos vizinhos

Vizinhança, mais que um conceito espacial, era antigamente um conceito afetivo. Nos meus tempos de criança em Cachoeiro de Itapemirim, todos éramos vizinhos: vizinhos de mais perto ou vizinhos de mais longe, mas todos afinal vizinhos.

Nas cidades do interior, este sentimento de estarem próximos uns dos outros perdura até hoje.

A cidade grande afasta as pessoas. O atropelo da vida, os compromissos, o medo são fatores que dificultam a convivência.

Nos edifícios da cidade grande, os vizinhos às vezes nem sabem o nome uns dos outros, o que não é, felizmente, o caso do edifício onde moro, na Praia da Costa (Vila Velha, ES).

Fui a recente reunião do condomínio com uma ideia na cabeça. Quis logo ver a pauta – condomínio que se preza sempre tem a pauta das reuniões. Fiquei a conjeturar em qual daqueles itens caberia minha intervenção: prestação de contas, rateio de uma despesa extra, melhoria em áreas comuns. Em nada disso se encaixava o que eu tinha a dizer. Vejo então, no final da pauta, o item salvador, onde tudo cabe: assuntos gerais. Espero o desenrolar dos trabalhos e quando o síndico anuncia os “assuntos gerais”, peço a palavra. Proponho então ao grupo que precisávamos fortalecer ainda mais nossos laços de vizinhança. Em abono da tese, começo lendo a crônica “Recado ao Senhor 903”, do inigualável Rubem Braga:

“Vizinho – Quem fala aqui é o vizinho do 1003. Recebi, outro dia, consternado, a visita do zelador, que me mostrou a carta em que o senhor reclamava do barulho em meu apartamento. Quem trabalha o dia inteiro tem direito ao repouso noturno e é impossível repousar no 903 quando há vozes, passos e músicas no 1003. Peço-lhe desculpas, prometo silêncio... mas que me seja permitido sonhar com outra vida e outro mundo, em que um homem batesse à porta de outro e dissesse: ´Vizinho, são 3 horas da manhã e ouvi música em tua casa. Aqui estou.´ E o outro respondesse: ´Entra, vizinho, e come do meu pão e bebe do meu vinho!”

Não obstante a veemência com que defendi a “vizinhança amiga”, lembrei-me de uma lição que aprendi do Professor Aylton Rocha Bermudes, quando fui seu aluno no ginásio: “Na argumentação, o gesto tem mais força que a palavra.” Tirei então do bolso um comprimido de Isordil e disse: na iminência de um ataque cardíaco, posso precisar de um comprimido como este debaixo da língua. Nessas circunstâncias, qualquer dos vizinhos pode salvar minha vida.

Através deste texto a ideia salta dos limites do meu condomínio para conhecimento geral, como um apelo a todos os moradores de todos os condomínios: é preciso humanizar a vida na cidade. Salve o vizinho!

Colunas

Literatura onde a comunidade está

Por meio de bate papos, grafite, cortejos, música e expressões artísticas, Mostra Literatura Paraná apresentará o universo literário paranaense para mais mil jovens de comunidades carentes de Curitiba

Continue lendo

Prédios sob a lei da água

Luiz Fernando de Queiroz é autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

Poluição visual

Por Mary Derosso

Continue lendo

Como revestir a área externa

Áreas de lazer e grande circulação precisam de revestimentos adequados e de alta resistência

Continue lendo

Designers de interiores

Por Bebel Ritzmann

Continue lendo

Limite ao poder de demitir

Luiz Fernando de Queiroz

Continue lendo

O Morador  Online  - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por MMV
Fone: 41 - 3333-8017