Economia

Imóveis “econômicos” ganham força como investimento

Empreendimentos com unidades até R$ 200 mil conquistam preferência com liquidez elevada

Os imóveis com preços até R$ 200 mil e pelo menos dois quartos têm ganhado espaço em volume de empreendimentos novos lançamentos e em construção no Brasil. Parte deste crescimento está relacionada com as melhores condições de aquisição das unidades, especialmente pelas vantagens do programa Minha Casa Minha Vida. O programa de crédito habitacional do governo federal é uma oportunidade para jovens solteiros, recém-casados ou até mesmo famílias com filhos para a aquisição de imóveis econômicos e que buscam também uma opção de investimento, pelas condições de compra e futura valorização.

Para os compradores enquadrados nas condições do programa, a aquisição é a oportunidade para trocar a despesa do aluguel pela casa própria, incrementando o seu patrimônio. “Ao final do financiamento, ao invés de ter acumulado um gasto relevante com aluguel, a pessoa terá um imóvel em seu nome, além da segurança e conforto da casa própria. E, pode ainda perceber uma valorização do seu imóvel, tornando-o um bom investimento. Para isso, é fundamental escolher bem o imóvel a ser adquirido, para que os benefícios futuros esperados não acabem se tornando fonte de dor de cabeça”, comenta Marcelo Lage.

A retomada do mercado imobiliário está relacionada à queda dos juros e a maior oferta de crédito. “A leitura é que o segmento de imóveis ’econômicos’ foi menos impactado que as demais faixas, durante a crise. Trabalhamos com um mercado que atende uma parcela relevante da população, e que historicamente encontrava dificuldades em materializar este sonho. Através da compra do imóvel na planta, em condições mais favoráveis – que se manteve positiva mesmo no período de crise – esse sonho se torna viável”, comenta Lage.

A pesquisa da Ademi-PR traz números que reforçam a visão sobre os “econômicos”. O levantamento aponta que em 2017 foram lançadas 4.355 unidades residenciais de até R$ 215 mil, e vendidas 2.604, totalizando 60% da disponibilidade. Já o ticket médio ficou em R$ 175 mil. O padrão “econômico” representa R$ 11,5% da disponibilidade dos apartamentos novos em Curitiba. A média de oferta existente entre as outras quatro faixas consideradas no estudo é de 22,1%.

Colunas

CURITIBA RECEBE QUEEN EXPERIENCE IN CONCERT EM AGOSTO

O evento que acontece no dia 17 agosto, na Ópera de Arame, relembra os grandes clássicos da lendária banda de Freddie Mercury

Continue lendo

Comportamento antissocial

Por Luiz Fernando de Queiroz, autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

Lei dispõe sobre instalação de cercas energizadas

Por Mary Derosso

Continue lendo

Arquiteta explica diferença entre perspectiva artística e 3D

Modelos de desenho englobam profundidade e maior percepção do projeto

Continue lendo

Âmbito internacional

Por Bebel Ritzmann

Continue lendo

Devedor eleito síndico!

Por Luiz Fernando de Queiro, autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

O Morador  Online  - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por MMV
Fone: 41 - 3333-8017