Segurança

Cuidados para evitar atropelamento de crianças

De janeiro a outubro de 2017, o Boletim de Acidentes de Trânsito Eletrônico Unificado (Bateu) registrou 207 ocorrências de atropelamentos de crianças entre 0 e 11 anos

Desse total, 203 tiveram ferimentos no Paraná. De acordo com o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) os dados apontam que 98% das crianças atropeladas ficam feridas.

Mesmo na faixa de travessia de pedestre é preciso olhar várias vezes para todos os lados e só depois de ter certeza do ambiente seguro, atravessar a rua em linha reta, com os passos rápidos e firmes sem correr. É importante também o pedestre acompanhado da criança manter o contato visual com os condutores antes de atravessar as ruas e perceber que está sendo visto para seguir em frente.

Quando não houver faixa de travessia de pedestres ou semáforo, é possível procurar por uma passarela, esquina ou o local mais seguro para atravessar a rua. É necessário ficar longe dos pontos cegos de visão, na frente ou atrás de ônibus, carros, árvores, postes ou qualquer outro objeto que impeça a visualização dos condutores.

Sempre caminhe na calçada e quando elas não existirem, caminhe no sentido contrário dos condutores junto a borda da pista e quando em grupo, forme fila indiana que significa um atrás do outro. As crianças devem brincar só em áreas seguras, como parques e jardins e jamais correr em direção à rua atrás de bolas e pipas.

Quando caminhar em estradas ou rodovias, ande no sentido contrário dos veículos, para ver e ser visto. Para atravessar a rua, o ideal é procurar por passarelas devido à alta velocidade dos veículos.

Antes de sair do ônibus espere que o condutor pare totalmente o veículo. O adulto deve descer primeiro do veículo, garantindo que não haja nenhum veículo ou bicicleta circulando a fim de que a criança dessa com calma.

Colunas

TRAJETÓRIA DE CÂNDIDO PORTINARI NA CAIXA CULTURAL CURITIBA

A exposição é composta por esboços, desenhos e estudos que revelam o processo criativo do artista

Continue lendo

Incêndio em condomínios: conhecimento e treinamento são fundamentais

Incêndio em condomínios: conhecimento e treinamento são fundamentais

O vice-presidente de Condomínios do Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi-PR), Dirceu Jarenko, explica que ter uma equipe e colaboradores preparados para ocasiões de urgência e emergência não é apenas uma questão de obrigatoriedade, mas de responsabilidade como cidadãos para a segurança de todos

Continue lendo

Lei coíbe prática da automedicação infantil

Por Mary Derosso

Continue lendo

Iluminação natural e amplitude trazem economia e sofisticação

Projetos que valorizam o aproveitamento da luz natural seguem princípios sustentáveis e economizam eletricidade

Continue lendo

Homenagem

Por Bebel Ritzmann

Continue lendo

Pagou, tem que provar!

Por Luiz Fernando de Queiroz

Continue lendo

O Morador  Online  - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por MMV
Fone: 41 - 3333-8017