Cidade

Investimentos contra cheias chegam a R$ 453 milhões

O prefeito Rafael Greca definiu como prioridade o andamento e a busca de mais recursos para obras contra enchentes em Curitiba

O prefeito Rafael Greca definiu como prioridade o andamento e a busca de mais recursos para obras contra enchentes em Curitiba. A cidade já conta com R$ 452,9 milhões garantidos junto ao Ministério das Cidades para projetos e obras nas bacias dos rios Belém, Barigui, Atuba, Iguaçu, Ribeirão dos Padilhas e Ponta Grossa.

Parte deste montante (R$ 148 milhões) está sendo aplicada em obras de macrodrenagem em andamento, nas bacias dos rios Barigui e Belém. Outros R$ 253,4 milhões são de projetos já aprovados e que aguardam a liberação de recursos por parte do Ministério das Cidades, também nas duas bacias.

Há ainda 5,8 milhões de projetos já licitados para a Bacia do Barigui no aguardo da autorização de início de obra pelo governo federal, e mais R$ 5,2 milhões em licitação, além de R$ 3,1 milhões em projetos contratados e outros R$ 37 mil autorizados a licitar.

Esse conjunto de obras e projetos faz parte do Plano Diretor de Drenagem da cidade.

“Curitiba tem garantido investimentos pela competência técnica na execução de projetos contra enchentes. Nossa lista de prioridades inclui a liberação dos recursos federais, a execução das obras e uma ação maciça na prevenção”, afirmou o prefeito em reunião técnica, no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), nesta terça-feira (20/3), com a equipe do instituto e da Secretaria de Obras e Infraestrutura, da qual participaram secretário e vice-prefeito, Eduardo Pimentel, e o presidente do Ippuc, Luiz Fernando Jamur.

Na oportunidade, as ações contra enchentes foram detalhadas em apresentações do diretor da Secretaria Municipal de Obras Públicas, Augusto Meyer Neto, e do supervisor de Implantação do Ippuc, Sérgio Matheus Rizzardo.

No que diz respeito à prevenção, Greca pretende resgatar ações de educação ambiental que já foram referência em Curitiba com abrangência para todas as regionais e também junto à rede municipal de ensino. “Vamos produzir um conteúdo didático de como prevenir cheias, como não jogar lixo nos rios, respeitar a legislação de permeabilidade do solo, entre outras ações”, explicou.

A legislação de Uso do Solo de Curitiba define que 25% da área do terreno (o equivalente a ¼ do lote) deve ser permeável. Se uma determinada construção ocupar a totalidade do terreno, por exemplo, é necessário que haja tanques para a captação e contenção de água de chuva.

“Vamos garantir que a lei seja cumprida e atuar também nas ações permanentes de recuperação e manutenção com a revisão dos bueiros e galerias da área central, onde a infraestrutura está enterrada e é mais antiga”, disse Greca.

Colunas

CURITIBA RECEBE QUEEN EXPERIENCE IN CONCERT EM AGOSTO

O evento que acontece no dia 17 agosto, na Ópera de Arame, relembra os grandes clássicos da lendária banda de Freddie Mercury

Continue lendo

Obra ilegal não prescreve

Por Luiz Fernando de Queiroz autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

Lei melhora a saúde da mulher

Por Mary Derosso

Continue lendo

Formas circulares para acolher

As formas curvas, utilizadas com um bom conceito, auxiliam, também, na leveza e praticidade das circulações dos espaços

Continue lendo

TURMA DO MARTINUS CELEBRA 40 ANOS DE FORMATURA

Por Bebel Ritzmann

Continue lendo

Registros e obrigações

Por Luiz Fernando de Queiroz autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

O Morador  Online  - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por MMV
Fone: 41 - 3333-8017