Cultura

As blasfêmeas de Hilda Hist ganham voz nas poesias de 64 autoras brasileiras

Antologia mostra um panorama de poetas contemporâneas atuantes no cenário nacional e traz poesias da curitibana Etel Frota

Poesias de 64 autoras brasileiras dão voz e dialogam com o perfil profano e transgressor de uma das maiores escritoras do século 20 nas páginas da antologia “Blasfêmeas: Mulheres de Palavra”, publicada pela editora gaúcha Casa Verde. O livro é uma homenagem a Hilda Hist (1930-2004), dona de uma linguagem inovadora e abrangente, e foi lançado no último sábado (24.06), a partir das 17 horas, no Espaço Cultural Mulher, Trabalho e Memória, da Livraria Vertov, em Curitiba. Organizada pela poetisa e jornalista Marilia Kubota e Rita Lenira de Freitas Bittencourt, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a obra pretende mostrar um panorama de poetas contemporâneas atuantes no cenário naciona e discutir a relevância da produção em autoria feminina na literatura e nas artes.

Uma das mais importantes letristas do cenário musical, a paranaense Etel Frota, aceitou imediatamente o convite para integrar a antologia poética ao saber que seria uma homenagem a um ícone da literatura brasileira. “Hilda Hist renovou a linguagem e promoveu a expansão da voz feminina”, destaca. “Ela foi uma autora revolucionária que destruiu conceitos e abriu caminhos já percorridos por outras escritoras como, por exemplo, as que participam do livro. Em “Blasfêmeas: Mulheres de Palavra”, Etel apresenta três poesias: “Quíron”, “O louco da rabeca” e “Um outro soma”.

O livro já teve dois lançamentos, em Porto Alegre e no Rio de Janeiro. Na programação de Curitiba, além de apresentação do projeto, haverá exibição da Orquestra de Cordas Kilânio e sarau com as autoras de Curitiba: Andréia Carvalho Gavita, Bárbara Lia, Etel Frota, Jandira Zanchi, Jane Sprenger Bodnar, Juliana Meira, Luci Collin, Marilia Kubota, Miriam Adelman, Neysi Oliveira, Priscila Prado, Regina Bostulim, Sabrina Lopes, Stela Livina Siebenichler e Zoe de Camaris.

O prefácio de “Blasfêmeas” é de Marilia Kubota, e o posfácio de Rita Lenira de Freitas Bittencourt. Roberto Schmitt-Prym assina o design gráfico e a capa foi feita a partir de pintura de Marilice Corona. A revisão ficou por conta de Luís Augusto Junges Lopes, da Press Revisão, e a coordenação editorial é de Laís Chaffe.

As autoras

Participam da antologia: Adelaide Ivánova, Adriana Zapparoli, Adriane Garcia, Ana Elisa Ribeiro, Ana Mariano, Ana Mello, Ana Peluso, Ana Rüsche, Andréa Catrópa, Andréia Carvalho Gavita, Angélica Freitas, Bárbara Lia, Célia Musilli, Claudia Manzolillo, Claudia Roquette-Pinto, Concha Rousia, Daniela Delias, Eliana Mara Chiossi, Eliane Marques, Estrela Ruiz Leminski, Etel Frota, Francine Canto, Gabriela Silva, Germana Zanettini, Greta Benitez, Jandira Zanchi, Jane Sprenger Bodnar, Josely Vianna Baptista, Juliana Meira, Jussara Salazar, Katyuscia Carvalho, Karen Debértolis, Laís Chaffe, Leila Guenther, Ligia Regina, Líria Porto, Lisa Alves, Lota Moncada, Lubi Prates, Luci Collin, Lúcia Santos, Mari Quarentei, Maria Rezende, Marília Garcia, Marilia Kubota, Micheliny Verunschk, Miriam Adelman, Monica Martinez, Neysi Oliveira, Nina Rizzi, Nydia Boetti, Priscila Merizzio, Priscila Prado, Regina Bostulim, Roberta Silva, Rose Mendes, Sabrina Lopes, Sandra Santos, Stela Livina Siebenichler, Telma Scherer, Vássia Silveira, Virna Teixeira, Yassu Noguchi, Zoe de Camaris.

Colunas

SESI Música une Mano a Mano Trio e João Bosco no mesmo palco

A apresentação é inédita e acontece no dia 18 de novembro em uma realização do SESI Cultura Paraná

Continue lendo

Silêncio é lei noite e dia

Por Luiz Fernando de Queiroz, autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

Lei traz benefícios aos deficientes visuais

Por Mary Derosso

Continue lendo

Arquiteto fala sobre os principais erros ao começar uma construção

É comum se cometer erros ao realizar uma construção, principalmente para os “marinheiros de primeira viagem”

Continue lendo

Nova imortal

Por Bebel Ritzmann

Continue lendo

Acesso forçado à unidade

“O condômino está obrigado a permitir o acesso à área privativa se isso for indispensável para a realização de obras de conservação do edifício condominial.”

Continue lendo

O Morador  Online  - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por MMV
Fone: 41 - 3333-8017