Número de distratos tem aumento de 41% em 2015

O número de pessoas que têm buscado as construtoras para fazer distratos, ou a rescisão dos contratos imobiliários, aumentou 41% em 2015. O levantamento mais recente da agência de classificação de riscos Fitch, com nove companhias, mostra que, de cada 100 imóveis vendidos, 41 foram devolvidos de janeiro a setembro. Isso significa quase R$ 5 bilhões de volta na prateleira de venda das grandes empresas.

As principais causas desse aumento foram crise econômica e alta dos juros, que dificultam o pagamento do imóvel e, consequentemente, provocam a desistência deles. Como o imóvel ainda não foi construído, não se firma uma compra, mas um contrato de intenção de compra.

O contratante negocia para pagar parte do valor do imóvel à construtora durante o período de construção. Terminado esse período, ele deve procurar um banco para financiar o restante. O problema é que o banco pode avaliar o imóvel com valor inferior ao valor que foi acordado com a construtora.

Segundo o advogado Paulo Roberto Athie Piccelli, especialista em direito do consumidor, quando não há falhas por parte da construtora, o comprador não recebe o valor integral do que foi pago. “A porcentagem não é definida, mas há uma média nos Tribunais”, explica.

Essa porcentagem não deve ser maior do que os gastos da construtora com administração e publicidade, que, segundo os Tribunais, é de até 15%. Em geral, as decisões judiciais determinam que a retenção por parte das construtoras é de 10%, ou seja, o consumidor pode chegar a receber até 90% do valor pago com as devidas correções.

O consumidor pode pedir o cancelamento do contrato mesmo inadimplente. Além disso, ele deve estar atento ao fato de que a construtora é obrigada a devolver esse valor de uma única vez, como determina a Súmula 543 do Superior Tribunal de Justiça (STJ). “As construtoras sempre parcelam e não retornam o valor que devem”, afirma Piccelli.

Colunas

CURITIBA RECEBE QUEEN EXPERIENCE IN CONCERT EM AGOSTO

O evento que acontece no dia 17 agosto, na Ópera de Arame, relembra os grandes clássicos da lendária banda de Freddie Mercury

Continue lendo

Edifícios também adoecem

Por Luiz Fernando de Queiroz, autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

Projetos que é verdadeira lição de estilo

Solução criativa para transformar ambientes da casa

Continue lendo

Brunch exclusivo

Por Bebel Ritzmann

Continue lendo

Não basta vigiar o papel

Por Luiz Fernando de Queiroz, autor do TPD-Direito Imobiliário e do Guia do Condomínio IOB

Continue lendo

O Morador  Online  - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por MMV
Fone: 41 - 3333-8017